Arquivos

Reflexões da vida

vida-5

Peguei-me ouvindo uma matéria que falava sobre um assunto desagradável: pedofilia. Passaram pequenos trechos da vida das crianças que me levaram momentaneamente ao meu passado.

Passado é passado, é assim que tratamos. Às vezes deixa marcas, dores ou aprendizados. Às vezes nem queremos tocar no passado, o que realmente queremos é colocar uma pedra em cima e fingir que nunca passamos por aquilo. Ah se fosse fácil!

Passar fome, morar ou dormir em qualquer lugar, conviver com brigas e discussões, estar no meio de tráfico de drogas, acidentes violentos que roubam o que amamos, ser rejeitado, ser humilhado, ser inferiorizado, enfrentar as consequências de decisões erradas, conhecer a morte bem de perto, não conhecer o calor de um abraço, etc. O tempo não passa, voa. A mente quer se acalmar, ficar em paz. Se for frente ao mar, melhor.

Hum… a vida! Ninguém nos ensina a viver!

E impossível dizer que apenas passamos por ela. Como é dolorida! Cheia de altos e baixos, às vezes semelhante a uma montanha russa, às vezes somos lançados à distância.

Nesse processo de aprendizado podemos ser fortalecidos ou enfraquecer de vez. Cabe a cada um de nós essa decisão. Aprendemos conforme a intensidade de cada experiência e, cada um, tem a sua intensidade.

Alguns se acham muito, listam diplomas nas paredes, nos currículos, o melhor carro, a melhor casa, a melhor viagem ao exterior, mas não a melhor pessoa, tudo se torna pouco.  Um dia, talvez percebam que a única certeza que temos é que morreremos, hoje ou amanhã, quem sabe! O que é para sempre?

A beleza da vida, penso eu, é aproveitar o máximo de todas as experiências, boas ou más. Sempre teremos um benefício.

Amar continua sendo o melhor remédio. Para cada doença uma dosagem.

Essa é a melhor receita!

Ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame, ame!

Quando aprendemos a amar o suficiente nos sentimos satisfeitos!

O que é ansiedade?

Ansiedade

Ansiedade: um sentimento desagradável que experimentamos quando estamos nervosos, preocupados ou inseguros. Parece que não temos controle sobre ele. Podemos nos sentir assim por alguns momentos ou por longos períodos. A ansiedade corre o risco de se tornar um hábito que fará de nós pessoas quase sempre ansiosas, sem perceber que não estamos nos permitindo relaxar de uma forma adequada. Num mundo completamente ansioso, é necessário aprendermos a lidar com a ansiedade.

A ansiedade rouba nossa felicidade, ficamos infelizes na presença dela!

Eu, particularmente, tive experiências onde a ansiedade levava meus pensamentos à loucura onde havia uma agitação incontrolável de falas.

A ansiedade nos avisa que o estresse está prestes a ocorrer e que precisamos nos preparar para uma ameaça real ou percebida. Enfrentar situações angustiantes nos dá confiança para lidarmos com as dificuldades futuras. Quem já passou por problemas e perseverou sabe que pode superá-los de novo e que é impossível agradar absolutamente todos. E será que precisamos agradar “todos”? Será que aqueles que nos amam de verdade não nos compreenderiam? Relacionamento profundo é um ponto chave.

É somente através do sofrimento que crescemos e desenvolvemos nosso caráter, mas muitas vezes ignoramos nossos sentimentos e emoções.

Os erros podem provocar inseguranças e nos levam a nos sentir insatisfeitos e angustiados.  Não podemos simplesmente engolir nossas emoções. É importante falarmos abertamente, com pessoas confiáveis, dos acontecimentos desgastantes que nos levam ao sofrimento, desta forma, a ansiedade vai diminuindo e damos espaço à esperança.

Deus nos ensina assim: “Não vos inquieteis com coisa alguma; mas apresentai a Deus todas as vossas necessidades pela oração e pela súplica, em ação de graças.” Filipenses 4.6

Que possamos viver de uma forma mais suave, cabendo a cada dia seu mal.

Você melhora os outros?

Como as pessoas que conhece o veem? Seja no trabalho, em casa, etc.

Você valoriza as pessoas conforme suas necessidades?  Os ensina? Os motiva?

Faz os outros melhores do que se estivessem sozinhos por meio da sua inspiração e contribuição?

Sei que contribuir com pessoas não é uma tarefa fácil, primeiro, precisamos ser uma pessoa segura para acrescentar valor aos outros e, segundo , precisamos conhece-las para se dedicar a elas.

Se ajudar os outros significar a você que eles podem atrapalhá-lo ou diminuir as suas chances de sucesso, esqueça, está no lugar errado porque será difícil trabalhar para desenvolver outros e se tornará uma tarefa desgastante além de se tornar um “reclamão”.

Beecher disse: “Nenhum homem é mais enganado do que o egoísta.”

Quando trabalhamos para outros sem egoísmo, crescemos! Simples assim!

“E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo. “ Mateus 20:27

Que Deus revele qual o seu dom, aquilo que gosta muito de fazer para que se desenvolva e viva em plenitude.

Ajudar

Deterioração dos valores ensinados na nossa sociedade

Geração em crise

Um dia desses, um amigo me relatou que viu uma notícia na TV referente a um político que estava sendo preso por seu comportamento corrupto e me disse que quando ouvia uma notícia desse tipo pensava nos filhos. Acrescentou que se colocara no lugar dos filhos ao receber tal notícia e que se sentiria completamente envergonhado.

Esse pai me demonstrou seu caráter e a partir disto nasceu essa reflexão.

Porque não nos indignamos mais com o abuso de crianças, com a violência, com os bêbados ao volante e outros tantos males? Porque não expressamos indignação e revolta contra essas coisas?

Martin Luther King Jr. afirmou: “Nossa vida começa a acabar a partir do momento que nos silenciamos diante das coisas que realmente importam”.

Talvez o problema esteja na confusão entre tolerância e mente aberta. Tenho a mente aberta quanto à aceitação das pessoas e ideias, desde que essas ideias não sejam ilegais, imorais ou antiéticas.

Vou dar um exemplo: eu não defenderia os direitos de um pedófilo. Eu seria tolerante quanto a um julgamento justo, mas intolerante quanto ao direito dele continuar abusando de crianças.

Precisamos ter bom senso e saber a diferença. Tolerar um comportamento que resulta de um comportamento pecaminoso cria um precedente que leva a det
erioração moral.

A tolerância é um reflexo do caráter. Quando toleramos as coisas erradas, isso é uma indicação de falha de caráter.

Colhemos o que plantamos! Mateus 7.24-27

Que possamos nos incomodar com o que realmente importa.

Ser ou Estar

Ser = aquilo que é, existe.

Estar = o modo de ser, estado

Existe uma má interpretação entre essas duas palavras. Muitos acham que são e apenas estão, outros acham que estão e, já são. Alguns são aquilo que os outros desejam. Outros estão aquilo que os outros desejam.

Quando não sabemos quem somos ou se estamos, somos levados pelas circunstâncias diariamente e, tudo vai piorando.

Vejo pais pagando faculdade porque os filhos “merecem”.

Vejo mulheres “tirando” o máximo que puderem de seus maridos.

Vejo pessoas “esmagando” outras em: supermercados, cinemas, local de trabalho, transportes, no trânsito, etc.

Vejo “supostas” amizades acabando porque o relacionamento é de um lado só.

Quem são essas pessoas? O que realmente há dentro de cada uma delas?

Em Exodo 4:10 diz que Moisés era um homem que tinha problemas na fala. Moisés achava que essa dificuldade o impediria de ser o que Deus já sabia que ele era. Hum, quantas vezes agimos dessa forma?

Davi era um menino franzino e não compreendia onde Deus o queria levar.

Muitos estão casados e o casamento nunca existiu.

Muitos estão como líder e nunca agiram como líder.

Muitos estão como amigos e por trás não agem como amigos.

Muitos querem casar e nem sabem o porque?

Deus pode transformar nossas vidas conforme transformou a vida Moisés, de Davi, de Pedro, de Paulo, de Marcia, de Claudia, de Mariza, e de muitos outros. Deus pode revelar a cada um de nós a nossa identidade e, trazer a existência o que não existe como se já existissem (Romanos 4.17).

É óbvio que essa transformação é um processo e não um passe de mágica. Basta nos dispor a isso, querer, enfrentar, ultrapassar!

Ser ou estar? Onde queremos chegar?

Ser ou estar

Você é ensinável?

Esse assunto foi discutido numa aula com o Ramo Estendido, aliás, excelente aula e, gostaria de compartilhar sobre.

Ser ensinável deveria ser algo natural em cada um de nós afinal, nascemos sem nenhum conhecimento.

Uma pessoa ensinável é aquela capaz de reproduzir e não ser somente um mero ouvinte. Ela não esquece, considera atentamente o treinamento. Que  treinamento? Qualquer que seja: num curso, na observação de pessoas, num bate papo, etc.! Ela nunca perde uma oportunidade e, é evidenciada somente após anos de ser ensinada.

Quais as características de uma pessoa ensinável?

  1. Deseja de coração aprender.
  2. Observa ações dos outros. Não se restringe a uma sala de aula.
  3. Está pronta para ouvir com atenção. Acolhe os ensinamentos com mansidão. Considera e persevera.
  4. Tem humildade. Tem plena consciência de que está sempre num processo de aprendizado.

Quais as características de uma pessoa não ensinável?

  1. Despreza as possibilidade de aprendizado.
  2. Não tem disposição para ouvir, para aprender. Perde oportunidades!
  3. É impaciente e presunçosa.
  4. A culpa é sempre dos outros.
  5. Sempre se justifica nos erros e falhas.
  6. Não aceita ser supervisionado ou prestar contas, feedback. Não permite ser avaliada.
  7. Fica ofendida ou magoada quando passa por correção.
  8. Tem a mente fechada para suas convicções.

Em que território você vive?

Você deve conhecer pessoas com muitos problemas, algumas com soluções e outras sem saber o que fazer. Vivem preocupadas e em círculos, sem sair da situação.

Quando um ser humano se afasta de Deus, na verdade, se afasta da vida e entra no território da morte. Muitas vezes achamos que estamos perto de Deus e na verdade não temos um relacionamento com Ele.

Onde está isso na bíblia? Ezequiel 33.11: “Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel?”

A decisão de viver ou morrer está em nossas mãos.

Para alguns Deus é apenas um detalhe. Procuram solução para seus problemas, mas não procuram Deus.

Em Provérbios 8.17-21 Deus nos ensina o seguinte:

“Eu amo aos que me amam, e os que cedo me buscarem, me acharão.
Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça.
Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida.
Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo.
Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros.”

Deus é o princípio de tudo e não compreendemos isso.

O que Deus mais deseja é realmente cuidar de nós como Pai.

Que possamos ter intimidade com Deus e que nossas vidas sejam transformadas a partir desta entrega.